A- A A+

Os paradoxos da escravidão moderna

"Os paradoxos da escravidão moderna" Resenha n° 103 - 2° trimestre de 2016 - Roberto Marinucci

O drama da assim chamada “escravidão moderna” tornou-se um tema cada vez mais debatido em nível internacional, com uma proliferação de estudos, relatórios, dados estatísticos e, inclusive, classificações da virtuosidade dos países nas práticas de combate. Um recente relatório aponta a existência de cerca de 45 milhões de pessoas sujeitas a alguma forma de escravidão. Entre as modalidades mais comuns podemos citar o tráfico de pessoas para exploração sexual e trabalho escravo, o trabalho infantil, o recrutamento de pessoas para conflitos armados e o trabalho em condições degradantes, com extensas jornadas, sob coerção, violência, ameaça ou dívida fraudulenta.

Clique aqui para ler o artigo completo 

Clique aqui para acessar à Resenha completa

NOTÍCIAS

Malasia e Indonesia acogerán por un tiempo a los refugiados rohingya

COMPARTILHE

 Finalmente, Malasia e Indonesia han abandonado su postura de intransigencia y aceptarán acoger a los barcos de refugiados rohinya que se dirigen a sus aguas. Tras dos semanas de críticas internacionales y de un tira y afloja que las organizaciones humanitarias han calificado de “ping-pong humano”, ambas naciones han indicado que “la expulsión y el remolque de los barcos” a aguas internacionales “ya no va a suceder”.

Leia mais...

Cercano il Nord Europa, trovano la Sicilia le nuove rotte dell'odissea dei profughi

COMPARTILHE

Un naufrago: "Sognavo la Norvegia, lo scafista mi ha imbrogliato". Quasi novemila arrivi nell'Isola dall'inizio dell'anno. Sempre più spesso i migranti approdano sulle coste sud-orientali

Leia mais...
REDES SOCIAIS

Conheça nossos canais dentro das redes sociais, participe, interaja, queremos ouvir você.

facebook  twitter

Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios - CSEM
SRTV/N Edificio Brasília Radio Center
Conj. P - Qd. 702 - Sobrelojas 01/02
CEP: 70719-900 - Brasília - DF / Brasil
Tel/Fax: +55 (61) 3327 0669
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

twitter   facebook