A- A A+

33ª Semana do Migrante: “A vida é feita de encontros"

De 17 a 24 de junho de 2018, a Igreja no Brasil celebra a 33ª Semana do Migrante, com o tema: “A vida é feita de encontros: Braços abertos sem medo para acolher”. Neste ano, o CSEM participa em parceria com a Cáritas Brasileira e outras instituições afins, em sintonia com a campanha mundial “Compartilhe a Viagem”. A semana é dedicada à sensibilização e à informação sobre imigração e refúgio. 

Veja a apresentação por Dom José Luíz F. Salles, Presidente do SPM e Bispo da Diocese de Pesqueira-PE e Dom João José Costa, Presidente da Caritas Brasileira e Arcebispo da Arquidiocese de Aracajú- SE:

O Papa Francisco, ao lançar a campanha “Compartilhe a Viagem”, nos convoca para caminhar com os migrantes, propondo como a Igreja deve responder aos desafios atuais e urgentes quanto à acolhida de refugiados (as) e migrantes nos dias de hoje. Partindo dessa compreensão, abraçamos a reflexão que migração não é um fenômeno recente e, sim, parte da história da humanidade. Porém, as causas mais constantes desses movimentos, na atualidade, perpassam questões econômicas e/ou políticas, desastres naturais ou provocados, situações de guerra ou ainda motivados pela constante e generalizada violação de direitos humanos.

É fato que os períodos históricos as pessoas mudam, mas o movimento de um lugar para outro caracteriza que a migração continua sendo um fenômeno complexo e com motivações diversas, onde os sujeitos são forçados ou atraídos, inclusive em grandes contingentes a buscarem melhorias nas condições de vida, alcançando ciclos migratórios nacionais e/ou internacionais, nem sempre conseguindo êxito
nesse intuito.

A Campanha “Compartilhe a Viagem” propõe incentivar as pessoas, homens, mulheres, crianças e jovens, de todos os credos e religiões, para irem ao encontro dos migrantes, colaborando na construção de uma cultura de Paz, a partir das histórias de vida e da diversidade cultural dos migrantes. Por isso, é importante enxergar os migrantes como oportunidade nesse projeto de reconstrução das sociedades. Vale observar que a referida Campanha veio em um momento histórico para a Igreja e a sociedade, onde o refugiado e os migrantes em geral, têm sofrido, tanto nas regiões de origem, como nas de destino, as diversas formas de exploração e discriminação existentes nos espaços em que o capital domina e exclui cada vez mais as pessoas e suas potencialidades. Lembremos que, nesse sentido, o Papa Francisco enfatizou que as nações do mundo têm o dever de acolher os migrantes de braços abertos, a todos e todas. “Irmãos, não tenham medo de partilhar a jornada. Não tenham medo de partilhar a esperança”.

Para a Igreja, é muito importante reforçar os direitos dos migrantes, refugiados e das diversas categorias migratórias e esse dever-desafio encontra sentido quando denunciamos, por exemplo, o trabalho escravo e o tráfico de pessoas, uma vez que, não podemos, em hipótese alguma, permitir tais violações. Sabemos que os países que ratificam as Convenções internacionais e constroem uma legislação nacional para Migrantes e Refugiados assumem a responsabilidade de oferecer proteção e assistência apropriadas. No entanto, quando se instalam em outros países, nem sempre os migrantes são bem recebidos. Atualmente, inclusive, há um comportamento que estimula a sociedade a rejeitar as pessoas nestas condições, sem sequer perceberem que, na maioria das vezes, quase todos e todas fomos ou somos migrantes.

Em sintonia com o espírito da 33ª Semana do Migrante, como nos lembra Pe. Alfredo Gonçalves, em seu texto “A sede e a Água Viva”, reflitamos: “O segredo da vida cotidiana é que a água viva não jorra de grandes feitos, de atos heroicos, de decisões bombásticas. A água da chuva, dos rios e dos oceanos é feita de pequenas gotas. O mesmo ocorre com a água viva que brota do Evangelho. Um olhar, um sorriso, uma palavra, um toque, uma visita, um “bom dia”, um ouvido atento, um coração aberto, a mão estendida num gesto de solidariedade – eis as gotas que formam o oceano”.

Neste sentido é que apresentamos a 33ª Semana do Migrante, neste ano celebrada de 17 a 24 de junho de 2018, coordenada, pela primeira vez, dentro do conjunto de pastorais e organismos da CNBB e outras instituições que trabalham a causa migratória e que, unidas, colocam e proclamam seu tema: A VIDA É FEITA DE ENCONTROS e seu lema: BRAÇOS ABERTOS SEM MEDO PARA ACOLHER!

materiais

Texto Base

Círculo Bíblico

Os demais materiais podem ser acessados em: SPM Migrantes 

semana do migrante 2018 SPM

NOTÍCIAS

Paulo Abrão assume luta contra tráfico de pessoas na Conatrap

COMPARTILHE

Tomam posse nesta quarta-feira (29), no Ministério da Justiça, os 26 membros do Comitê Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Conatrap), órgão formado por representantes da sociedade civil e do governo federal.

Leia mais...

Iglesia católica cuestiona desnacionalización en Dominicana

COMPARTILHE

La Iglesia católica cuestionó el martes la decisión del tribunal constitucional que despoja de la nacionalidad dominicana a miles de hijos de haitianos que antes disfrutaron de ese derecho.

Leia mais...
REDES SOCIAIS

Conheça nossos canais dentro das redes sociais, participe, interaja, queremos ouvir você.

facebook  twitter

Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios - CSEM
SRTV/N Edificio Brasília Radio Center
Conj. P - Qd. 702 - Sobrelojas 01/02
CEP: 70719-900 - Brasília - DF / Brasil
Tel/Fax: +55 (61) 3327 0669
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

twitter   facebook