A- A A+

Pesquisa inédita revela informações sobre o tráfico de pessoas no País

Uma pesquisa inédita divulgada nesta sexta-feira (18), pela Secretaria Nacional de Justiça do Ministério da Justiça (SNJ/MJ), revela informações a respeito do tráfico de pessoas na área de fronteira do Brasil. O “Diagnóstico sobre Tráfico de Pessoas nas Áreas de Fronteira no Brasil” mostra as modalidades mais comuns do crime, o modo de ação dos traficantes, as características da ação criminosa nos 11 Estados de fronteira e define encaminhamentos concretos para que sejam desenvolvidas políticas públicas na área de atendimento às vítimas e repressão aos criminosos.

A pesquisa mostra que pelo menos 475 pessoas, no período de 2005 a 2011, foram vítimas do tráfico de pessoas. A maioria delas é de mulheres entre 18 a 29 anos e adolescentes. Estes são os registros oficiais feitos junto a orgãos policiais.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, definiu o crime como “subterrâneo” por conta da falta de registros junto aos órgãos policiais. “A pesquisa detecta uma cultura permissiva que legitima a consumação do crime. Sem números, há uma dificuldade para que aconteça uma investigação eficiente e o combate efetivo ao tráfico”, destacou o ministro.

O estudo observa grande incidência de tráfico de pessoas para fins de trabalho escravo no Rio Grande do Sul, Paraná, Pará, Amazonas, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Em alguns casos, índios são usados na produção agrícola de uva, maçã, cebola e cana de açúcar, na pecuária e construção civil ou ainda no transporte de drogas entre estados e países. Para fins de exploração sexual, há uma concentração no Amapá, Pará, Roraima, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Novas modalidades, que até então não tinham sido mencionadas na literatura sobre o tráfico de pessoas no Brasil, foram identificadas, como a exploração da mendicância e da servidão doméstica de crianças e adolescentes - meninas “adotivas” e de jovens traficados para exploração em clubes de futebol, muitos abusados sexualmente.

A pesquisa é fruto de um termo de cooperação celebrado entre a SNJ e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), fazendo parte das ações desenvolvidas no âmbito da Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron)

Planejamento
A pesquisa é resultado da implementação de um conjunto de ações iniciadas em 2012 com o objetivo de que os diagnósticos encontrados nos estudos fossem revertidos em políticas públicas eficientes e concretas. Durante o lançamento da pesquisa, o secretário Nacional de Justiça, Paulo Abrão, lembrou que, para 2013, há 12 etapas desse planejamento, quase todas já devidamente cumpridas.

Entre elas estão a assinatura de decreto governamental; criação de um grupo interministerial para garantir as ações; diagnóstico nacional de estatísticas sobre tráfico de pessoas; lançamento da campanha Coração Azul em três etapas, protocolo padrão de atendimento integrado às vítimas de tráfico de pessoas; e escolha de membros do Comitê Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Conatrap), instituído pelo decreto presidencial.

As ações citadas antecederam o lançamento da pesquisa e chegam para municiar o Ministério da Justiça, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (Unodc) e demais entidades relacionadas com o tema.

 

Clique aqui para ler o estudo completo

 

Fonte: Agência MJ de Notícias - 18.10.2013

COMPARTILHE
NOTÍCIAS

Cifra de refugiados e inmigrantes en Chile crece en 123% en 13 años

COMPARTILHE

 SANTIAGO.- El Departamento de Extranjería del Ministerio del Interior decidió elaborar un inédito anuario estadístico con información actualizada y precisa de los inmigrantes y refugiados que han llegado al país desde 2004, dos años después del Censo de 2002, para asegurar que los extranjeros que en ese año dijeron vivir en el país hayan obtenido su residencia definitiva.

Leia mais...

Venezuelanos buscam melhores condições de vida no Amazonas

COMPARTILHE
 Depois de Roraima, o Amazonas passou a ser uma opção para venezuelanos que deixaram o país em busca de melhores condições de vida.
 
Leia mais...
BIBLIOTECA

biblioteca

O CSEM possui uma biblioteca especializada em migrações abrangendo em seu acervo aproximadamente 3 mil livros, periódicos e revistas científicas de vários países. 

Para consultar nossa biblioteca online visite o site da biblioteca e pesquise em nosso acervo.Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h


Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios - CSEM
SRTV/N Edificio Brasília Radio Center
Conj. P - Qd. 702 - Sobrelojas 01/02
CEP: 70719-900 - Brasília - DF / Brasil
Tel/Fax: +55 (61) 3327 0669
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

twitter   facebook