A- A A+

Bulgária impede, pela primeira vez, entrada de migrantes para contrariar tráfico

A Bulgária impediu, pela primeira vez, cerca de cem migrantes de entrarem no país através da fronteira com a Grécia, a sul, uma decisão que pretende enviar uma "mensagem forte" aos traficantes de pessoas, anunciou hoje o Governo búlgaro.

Entre os migrantes, encontravam-se 56 afegãos, que estavam escondidos num comboio de carga, e um outro grupo com cerca de 40 sírios e iraquianos.

Este foi o maior número de pessoas detetadas quando tentavam entrar neste país do leste europeu, desde o início da crise dos refugiados.

"O seu regresso foi realizado a uma velocidade recorde para a Europa", afirmou o primeiro-ministro, Boyko Borisov, após um encontro com a polícia responsável pelas fronteiras e com uma unidade do exército, na cidade de Blagoevgrad, no sudoeste da Bulgária.

"Enviámos uma forte mensagem aos traficantes que estão a explorar estas pobres pessoas", acrescentou o ministro do Interior, Rumyana Bachvarova.

Após a recente evacuação do campo de refugiados de Idomeni, na fronteira entre a Grécia e a Macedónia, onde milhares de pessoas estavam retidas depois de países dos Balcãs terem fechado as fronteiras, a Bulgária tem registado um aumento do número de pessoas que procuram uma nova rota para entrar na Europa.

Os afegãos regressaram à Grécia no próprio dia, enquanto os restantes 40 migrantes estavam a ser investigados e deverão voltar para trás na próxima semana, disse Borisov.

Os migrantes tinham pagado, cada um, 200 euros aos traficantes, confiando que seriam levados para a Macedónia, adiantou o governante búlgaro.

De forma a gerir eventuais incidentes, no futuro, será deslocado um contingente de 65 soldados com veículos todo-o-terreno para zona oeste da fronteira com a Grécia, que deverá apoiar a polícia, referiu ainda.

A fronteira entre a Bulgária e a Grécia tem quase 500 quilómetros e o país também partilha uma fronteira de 260 quilómetros com a Turquia.

Até agora, Sófia tem-se focado na fronteira com a Turquia, acelerando a construção de uma vedação com 132 quilómetros de comprimento e três metros de altura.

Mas, recentemente, Borisov reconheceu que a fronteira grega é "a maior ameaça", admitindo também a construção de uma barreira, se necessário.

Situada no extremo a leste da Europa, a Bulgária registou 5.010 pessoas à procura de asilo, entre os quais sírios, iraquianos e afegãos.

Fonte: http://24.sapo.pt  - 29.05.2016

COMPARTILHE
NOTÍCIAS

Governo vai implantar Comitê contra o Tráfico e Desaparecimento de Pessoas

COMPARTILHE

 O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), vai instituir o Comitê de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas na Paraíba, que será formado por órgãos estaduais e sociedade civil organizada.

Leia mais...

Il presidente dell’Europarlamento, Martin Schulz, chiede “una legge europea sull’immigrazione”

COMPARTILHE

Per il tedesco “i Paesi che non accettano i profughi devono contribuire almeno economicamente alla soluzione del problema”.

Leia mais...
BIBLIOTECA

biblioteca

O CSEM possui uma biblioteca especializada em migrações abrangendo em seu acervo aproximadamente 3 mil livros, periódicos e revistas científicas de vários países. 

Para consultar nossa biblioteca online visite o site da biblioteca e pesquise em nosso acervo.Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h


Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios - CSEM
SRTV/N Edificio Brasília Radio Center
Conj. P - Qd. 702 - Sobrelojas 01/02
CEP: 70719-900 - Brasília - DF / Brasil
Tel/Fax: +55 (61) 3327 0669
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

twitter   facebook