A- A A+

Santa Sé: menores migrantes, vítimas inocentes de políticas restritivas

“Cada vez mais países estão adotando políticas mais restritivas a fim de eliminar toda e qualquer forma de irregularidade migratória. Os menores são comumente vítimas inocentes de tais medidas drásticas.” O Papa, ao invés, “insiste sobre o dever de resolver e de regularizar a posição dos migrantes menores”.

Foi o que disse o subsecretário da Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o serviço do desenvolvimento humano integral, Pe. Fabio Baggio, em pronunciamento na Escola de Verão 2017 sobre o tema dos menores migrantes, realizada em Catanzaro – sul da Itália -, concluída esta quinta-feira (20/07).

Crianças e adolescentes nos processos migratórios

Promovida pela Universidade Católica do Sagrado Coração em colaboração, entre outros, com o Instituto internacional scalabriniano de migração e a Fundação Migrantes, a edição deste ano foi centralizada no tema “Crianças e adolescentes nos processos migratórios”.

“A migração tornou-se um fenômeno global e hoje muitos fluxos são consequências de conflitos, perseguições, mudanças climáticas, violência, pobreza extrema e condições de vida desumanas”, recordou Pe. Baggio.

Crianças e adolescentes são os mais vulneráveis

“Emigrar hoje significa enfrentar grandes sacrifícios e muitas vezes as crianças pagam o preço mais alto, especialmente quando emigram sozinhas”, acrescentou o prelado. “Somente pelo fato de ser estrangeiros, todos os migrantes são efetivamente vulneráveis. São muitas vezes negligenciados, discriminados e marginalizados. E entre estes as crianças e adolescentes constituem o grupo mais vulnerável” porque “menores, porque estrangeiros e porque inermes”.

Aqueles que se encontram em situação irregular, por exemplo, “muitas vezes têm que se esconder das autoridades e não gozam de um acesso equânime à instrução e à assistência médica” disse ainda.

Crianças e adolescentes vítimas da prostituição e pornografia

A situação dos menores não acompanhados é particularmente precária. Muitas crianças e adolescentes caem na prostituição ou no rol da pornografia, tornam-se escravos do trabalho entre menores ou recrutados como soldados, ressaltou o subsecretário da Sessão Migrantes e Refugiados do referido dicastério vaticano.

O Papa Francisco pede que se responda a esses desafios através de três verbos: “proteger, integrar e buscar soluções duradouras”.

Criar redes transnacionais de proteção e assistência

Daí, o convite a “adotar ações comuns e coordenadas nos países de origem, trânsito e destinação a fim de assegurar que todos os menores migrantes e refugiados sejam sempre protegidos de toda e qualquer forma de abuso”, a um “intercâmbio de informações” e “cooperação entre as organizações e as instituições, quer religiosas, quer civis”, mediante a “criação de redes transnacionais de proteção e assistência”. (RL/Sir)

Fonte: Radio Vaticana

COMPARTILHE
NOTÍCIAS

Organizaciones pro-inmigrantes se enfocan en voto hispano

COMPARTILHE

Las organizaciones pro inmigrantes del Área Metropolitana de Washington apuestan al capital de futuros ciudadanos que pueden votar en las elecciones de noviembre. Realizan programas de preparación y asesorías especializadas a residentes permanentes que califican para ciudadanía

Leia mais...

Abandonan a migrantes en islas desiertas de Puerto Rico

COMPARTILHE

Tres grupos de migrantes de Haití y Cuba fueron abandonados por traficantes en días recientes en dos islas desiertas frente a Puerto Rico, informaron el lunes las autoridades. 

Leia mais...
BIBLIOTECA

biblioteca

O CSEM possui uma biblioteca especializada em migrações abrangendo em seu acervo aproximadamente 3 mil livros, periódicos e revistas científicas de vários países. 

Para consultar nossa biblioteca online visite o site da biblioteca e pesquise em nosso acervo.Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h


Centro Scalabriniano de Estudos Migratórios - CSEM
SRTV/N Edificio Brasília Radio Center
Conj. P - Qd. 702 - Sobrelojas 01/02
CEP: 70719-900 - Brasília - DF / Brasil
Tel/Fax: +55 (61) 3327 0669
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

twitter   facebook